Voluntariado

"Quando nos preocupamos com a sorte dos outros, quando nos mobilizamos por causa de interesse social, estamos a estabelecer laços de solidariedade e confiança mútua que nos protegem em tempo de crise, tornam a sociedade mais unida e fazem de cada um de nós um ser humano melhor." Elza Chambel.

DIREITOS E DEVERES

Actuar com as pessoas, famílias e comunidade é estabelecer uma relação de reciprocidade de dar e receber que exige direitos e impõe deveres.

DIREITOS DOS VOLUNTÁRIOS:

a) Desenvolver um trabalho de acordo com os seus conhecimentos, experiências e motivações;
b) Ter acesso a programas de formação inicial e contínua;
c) Receber apoio no desempenho do seu trabalho com acompanhamento e avaliação técnica;
d) Ter ambiente de trabalho favorável e em condições de higiene e segurança;
e) Participação das decisões que dizem respeito ao seu trabalho;
f) Ser reconhecido pelo trabalho que desenvolve com acreditação e certificação.
g) Acordar com a organização promotora um programa de voluntariado, que regule os termos e condições do trabalho que vai realizar.

DEVERES DO VOLUNTÁRIO PARA COM OS DESTINATÁRIOS:

a) Respeitar a vida privada e a dignidade da pessoa;
b) Respeitar as convicções ideológicas, religiosas e culturais;
c) Guardar sigilo sobre assuntos confidenciais;
d) Usar de bom senso na resolução de assuntos imprevistos, informando os respectivos responsáveis;
e) Actuar de forma gratuita e interessada, sem esperar contrapartidas e compensações patrimoniais;
f) Contribuir para o desenvolvimento pessoal e integral do destinatário;
g) Garantir a regularidade do exercício do trabalho voluntário;

Deste modo, ser voluntário na Santa Casa da Misericórdia de Porto de Mós é desenvolver uma actividade de solidariedade na certeza de poder dar um contributo para a construção de um futuro diferente e melhor. Se está interessado, seja voluntário.
SOLIDARIZA-TE CONNOSCO!

Patrocinadores